segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Hospital Estadual Rocha Faria ganha primeiro Núcleo de Avaliação Fetal da rede pública estadual

Durante a gravidez, uma pergunta constante teima em permanecer no pensamento de todas as mamães: “como está meu bebê?”. Com a evolução da Medicina, hoje é possível, através de diversos exames além da tradicional ultrassonografia, melhor avaliar o feto ainda dentro da barriga da mãe. No último dia 14 de dezembro o Hospital Estadual Rocha Faria (HERF), em Campo Grande, inaugurou o primeiro Núcleo de Avaliação Fetal (NAF) da rede pública estadual de saúde que passa a oferecer alguns desses procedimentos.

O novo serviço conta com ultrassonografia morfológica fetal, dopplervelocimetria materna e fetal, cardiotocografia basal, perfil biofísico fetal, perfil biofísico do embrião e amnioscopia. Todos eles são voltados, principalmente, para pacientes em gestação de alto risco. A futura mamãe pode acompanhar tudo através de um monitor, recebendo as explicações necessárias durante o procedimento. Todos os exames são indolores e não-invasivos.

O NAF funciona dentro da maternidade do hospital, especializada em gravidez de alto risco, e vai atender, em princípio, pacientes internadas na unidade. Haverá, ainda, 20 atendimentos semanais para pacientes de outros hospitais da rede da Secretaria de Estado de Saúde (SES), agendados previamente na secretaria do NAF. Essas pacientes deverão ter um pedido médico e ser encaminhadas pelas unidades da SES. O atendimento é diário e ininterrupto para as gestantes internadas no hospital e de segunda a sexta, das 8h às 17h, para as demais.

A dona de casa Cristina Almeida, de 26 anos e moradora de Santa Cruz, teve rompimento da bolsa uterina na última quarta-feira, dia 14 de dezembro. Ela foi encaminhada ao HERF e na sexta, 16 de dezembro, realizou o exame de cardiotocografia basal para que os batimentos cardíacos do bebê fossem avaliados. “Estou na 32ª semana de gravidez e passei por esse susto. Tenho mais três filhos e em todas as gestações aconteceu algum problema, mas felizmente eles vieram com saúde. Espero que dessa vez também dê tudo certo”, contou.

Intervenções seguras – O risco de acontecer uma das principais e mais rotineiras complicações durante a gravidez, a eclampsia, também pode ser rastreado através dos novos exames disponíveis no NAF. “Com os resultados desses procedimentos, podemos orientar um tratamento terapêutico para minimizar as intercorrências que essa mãe pode ter ao longo da gravidez e durante o parto”, explica o obstetra e ultrassonografista, Roberto Lemos, responsável pelo novo serviço. Os exames também ajudam a detectar má formação fetal, doenças como Síndrome de Down e outros males que podem comprometer a vida do bebê e da gestante. A grande vantagem é a possibilidade de intervir precocemente e de forma segura e, se for o caso, decidir pela interrupção da gravidez nos casos em que há risco de vida.

Passando também pela quarta gestação, a vendedora Isis Cardoso, de 29 anos, contraiu uma infecção urinária com quase 8 meses e meio de gravidez. A futura mamãe de uma menina está internada no HERF e teve a indicação para realizar os exames de ultrassonografia, dopplervelocimetria e cardiotocografia basal. “Esse será meu terceiro parto em hospital público e não tenho do que reclamar. Mas confesso que fiquei surpresa quando entrei aqui no NAF. Não imaginava que seria tão bem atendida e que teríamos à disposição esses exames tão complexos e importantes para a minha saúde e a do meu bebê”, comemora.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
http://www.saude.rj.gov.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário